Saúde

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

O contexto do sector da saúde, a nível nacional, caracteriza-se por sucessivas reformas ou adaptações do Serviço Nacional de Saúde (SNS),

embora os seus alcances tenham sido inconsequentes e tenham, inclusivamente, conduzido a um agravamento da sua gestão.

De facto, é identificável um conjunto de ineficiências a nível estrutural e operacional que permanecem, nomeadamente: i) a dificuldade do acesso ao serviço público; ii) a desigual distribuição; iii) a escassez dos recursos humanos; e iv) o excessivo peso dos medicamentos no total da estrutura de custos, que têm vindo a conduzir à degradação da componente financeira do SNS evidenciada pelo crescimento significativo da despesa pública e pelos valores elevados dos défices que tem vindo a apresentar.

No sentido da resolução destas ineficiências, foram implementadas várias reformas tendo em vista a “empresarialização” da gestão das unidades de saúde. Deste modo, estas unidades irão necessitar de implementar um conjunto de instrumentos de gestão, por forma a serem capazes de responder aos desafios inerentes à sua empresarialização, nomeadamente:

  • Direccionar a gestão em saúde para uma perspectiva mais estratégica, tendo o “Utente” como o centro do sistema;
  • Liderança e gestão dos recursos humanos, num ambiente de maior mobilidade, exigência e referência multicultural destes;
  • Adequação das estruturas organizacionais ao novo contexto e alteração das formas de trabalho em prol da maior flexibilidade, responsabilização e reconhecimento;
  • Eficiente gestão das operações no sentido da obtenção de potenciais ganhos de produtividade associados à optimização da gestão e logística dos recursos;
  • Melhorar o acesso à informação e a qualidade dos processos de gestão (optimização dos sistemas de informação).

Adicionalmente, e no que concerne ao sector privado, tem-se registado um investimento significativo por parte dos grandes grupo financeiros nacionais, quer na construção de unidades de saúde, quer na participação na gestão de unidades públicas.

A Leadership tem desenvolvido intervenções muito direccionadas no sector da saúde, nomeadamente a nível privado, tendo desenvolvido metodologias sólidas para responder aos desafios do sector e implementado projectos de apoio ao aumento da eficiência organizacional e operacional de unidades de saúde.